A integralidade do cuidado em saúde mental

Autores

Editora Inovar

Palavras-chave:

Enfermagem, Saúde mental

Sinopse

Não há produção de saúde sem produção de saúde mental. Logo, é preciso levar em conta que, ao se receber cuidados em saúde, devem ser consideradas as dimensões biológica, psíquica e social dos indivíduos.

A saúde mental define o nosso bem-estar emocional, psicológico e social. Afeta a maneira como pensamos, sentimos e agimos quando enfrentamos a vida. Também ajuda a determinar como lidamos com o estresse, nos relacionamos com os outros e tomamos decisões.

O cuidado de enfermagem desempenha um papel fundamental na promoção e manutenção da saúde mental dos indivíduos, representando um elo vital no complexo sistema de assistência à saúde. A atuação da enfermagem transcende o simples trato de sintomas físicos, estendendo-se aos aspectos psicológicos e emocionais dos pacientes. Nesse contexto, a atenção à saúde mental ganha uma relevância ainda maior, considerando os desafios contemporâneos e as crescentes demandas por cuidados integrados.

A enfermagem desempenha um papel crucial na identificação precoce de problemas de saúde mental, realizando avaliações abrangentes que vão além dos aspectos físicos. Profissionais de enfermagem estão aptos a reconhecer sinais de angústia emocional, mudanças de comportamento e outros indicadores que podem sinalizar a necessidade de intervenção na esfera mental. Essa habilidade de observação aguçada permite a implementação de estratégias preventivas e de suporte, contribuindo para a prevenção de crises e a promoção do bem-estar mental.

Além disso, a enfermagem desempenha um papel crucial no estabelecimento de uma relação terapêutica com os pacientes. A empatia e a compreensão oferecidas pelos profissionais de enfermagem criam um ambiente propício para que os pacientes expressem suas preocupações e desafios mentais. Essa abordagem centrada na pessoa não apenas promove a adesão ao tratamento, mas também fortalece a confiança do paciente na equipe de saúde, contribuindo para uma abordagem mais holística e eficaz.

Os enfermeiros são essenciais na implementação de intervenções terapêuticas, tanto individuais quanto em grupo, para lidar com transtornos mentais e emocionais. Suas habilidades técnicas e conhecimento especializado permitem a administração adequada de medicações psicotrópicas, além de proporcionar suporte e orientação durante o processo terapêutico. O acompanhamento contínuo e a adaptação dos planos de cuidados conforme as necessidades do paciente são componentes cruciais para o sucesso do tratamento mental.

Além do cuidado direto ao paciente, a enfermagem desempenha um papel ativo na promoção da saúde mental na comunidade. Programas de educação, prevenção e conscientização são frequentemente liderados por profissionais de enfermagem, contribuindo para a redução do estigma associado aos transtornos mentais e para o aumento da compreensão sobre a importância do autocuidado mental.

O cuidado de enfermagem na saúde mental é uma peça-chave na construção de uma abordagem abrangente e humanizada à saúde. Ao integrar aspectos físicos, emocionais e sociais, os enfermeiros desempenham um papel insubstituível na promoção do bem-estar mental, na prevenção de doenças mentais e no apoio aos indivíduos que enfrentam desafios psicológicos. Essa abordagem integral não apenas melhora a qualidade de vida dos pacientes, mas também contribui para uma sociedade mais saudável e resiliente.

 

ISBN 978-65-5388-176-1
DOI: 10.36926/editorainovar-978-65-5388-176-1

 

Biografia do Organizador

Johnata da Cruz Matos - Enfermeiro. Advogado. Professor. Eterno estudante de Filosofia e Sociologia. Aspirante à Escritor - “Palavras são, na minha nada humilde opinião, nossa inesgotável fonte de magia” (A.D.). Doutor em Ciências e Tecnologias em Saúde (2019) e Mestre em Enfermagem (2016) ambos pela Universidade de Brasília (UnB). Graduado em Enfermagem pelo Centro Universitário UNINOVAFAPI (2008), Graduado em Direito pelo Centro Universitário Estácio do Ceará com aprovação no 37 Exame da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB (2023). Licenciado em Filosofia pela Faculdade Evangélica do Meio Norte (2012). É pesquisador com interesse principalmente em temas como Bioética, Terminalidade da Vida, Cuidados Paliativos, Itinerários Terapêuticos, Processo Saúde e Adoecimento (Determinantes Sociais em Saúde) em Populações Vulneráveis e Minorias Sociais, Organização do Sistema Único de Saúde - SUS na Constituição Federal - CF/88 e, Aplicação das Ciências Sociais na Assistência em Saúde. Foi professor substituto pela Universidade de Brasília na disciplina de Ética, Bioética e Legislação de Enfermagem (2018-2019), docente na graduação em enfermagem pelo Centro Universitário Euro-Americano - UNIEURO (2015 - 2020) e na pós-graduação pelo Centro Goiano de Ensino e Pós-graduação - CGESP (2019-2020). Atualmente atuo Enfermeiro Assistencial com vínculo pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH, e ainda atua docente no curso de enfermagem e na pós-graduação ambas pelo Centro Universitário Estácio.

Capítulos

  • A ANSIEDADE NO CONTEXTO DA PANDEMIA: UMA ESTUDO SOBRE O PAPEL DA ENFERMAGEM
  • A RELAÇÃO ENTRE DEPRESSÃO E O CONTEXTO LABORAL NA ENFERMAGEM: UM ESTUDO DE CASO
  • A TEORIA DAS NECESSIDADES HUMANAS BÁSICAS APLICADAS À CRISE DE MATURAÇÃO POR PATERNIDADE/MATERNIDADE
  • COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE O ADOECER DEPRESSIVO E O CUIDAR DE PACIENTES EM CUIDADOS PALIATIVOS
  • MUSICOTERAPIA: A IMPORTÂNCIA DA ENFERMAGEM NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM SOFRIMENTO MENTAL

Downloads

Publicado

novembro 29, 2023

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.