Mulheres: direito, história e feminismo

Autores

Editora Inovar

Palavras-chave:

Feminismo

Sinopse

Neste livro refletiremos sobre a condição feminina na sociedade brasileira. Acreditamos que, com as análises aqui presentes, será possível uma maior compreensão sobre os problemas que enfrentamos no passado e os atuais do século XXI, que nos levam a necessidade do feminismo todos os dias.

Nossa democracia é muito jovem, tem apenas 35 anos de idade. A destruição do palácio do planalto no dia 8 de janeiro deste ano, e os frequentes ataques às instituições democráticas, têm nos mostrado o quanto ainda temos um longo caminho para sua consolidação. O discurso autoritário e conservador em relação a mulher continua a nos rondar e a cidadania plena ainda é um horizonte distante.  

Vivemos em uma sociedade profundamente desigual, fortemente hierarquizada, patriarcal e marcada pela violência e o racismo. Afinal como destacam as historiadoras Lívia Magalhães e Érika Natasha Cardoso: “A nossa cor, a classe à qual pertencemos, os locais que frequentamos, o lugar onde nascemos, a quantidade e variedades de parceiros com os quais nos deitamos e muitos outros signos operam na forma como seremos tratadas e nomeadas. Operam também sobre a credibilidade do nosso discurso”.[1]

Neste sentido, analisar essa dinâmica política e social torna-se um desafio grande e complexo para as acadêmicas e intelectuais. É esse desafio que o livro “Mulheres: Direito, História e Feminismos”, se propõe a enfrentar, levando a um amplo público leitor os principais temas e debates sobre o gênero feminino, mostrando-nos seus processos históricos, jurídicos e psicológicos. Escritos numa linguagem acessível, mas sem a perda de rigor acadêmico e da qualidade intelectual, os artigos estão organizados por eixos temáticos e foram elaborados para colaborar com a reflexão e o pensamento crítico, fundamentais para a construção de uma sociedade democrática e diversa.

Em nosso país e em nosso tempo é urgente pensar a condição da mulher. Convidamos as leitoras e leitores à efetiva mudança deste mundo, que nos pertence a todas, todos e todes.

[1]CARDOSO, Erika e MAGALHÃES, Lívia. Nem santas nem putas: estigmas comportamentais e violência de gênero. In: Lugar de mulher: feminismo e política no Brasil. MAGALHÃES, Lívia (org). Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2017, p. 72.

 

ISBN: 978-65-5388-108-2
DOI: doi.org/10.36926/editorainovar-978-65-5388-108-2

Biografia das organizadoras

Roberta Oliveira Lima - Doutora em Sociologia e Direito pela Universidade Federal Fluminense - UFF na linha de conflitos socioambientais rurais e urbanos (2018). Mestre em Gestão de Políticas Públicas pela UNIVALI (2012) na linha de pesquisa Políticas Públicas: Aspectos Socioculturais, Territorialidade e Sustentabilidade Ambiental. Graduação em Direito pela UNIVALI (2010). Licenciada em Ciências Sociais pela Faculdade Avantis (2017). Atuou como membro da equipe de consultoria do PNUD/Eurosocial e Secretaria de Reforma do Judiciária no aperfeiçoamento da Política Justiça Comunitária. Foi pesquisadora do Projeto MDS/SISAN 01/2013 que visou o fortalecimento do Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) nos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais e seus respectivos municípios (2015-2017). Professora-orientadora PIBIC/UNESA na área de Direito Ambiental. Coordenadora do Projeto de Extensão "Agenda 2030: sustentabilidade e Direito ao Futuro" na UNESA (Niterói e Alcântara - ciclo 2020/2021). Coordenadora do grupo de Pesquisa "Sustentabilidade, Direitos Humanos e Transnacionalidade" (CNPQ/UNESA). Bolsista do do Programa Pesquisa Produtividade da UNESA (Ciclo 2021-2022). Parecerista da Revista Direito e Política (A1) e da Revista Novos Estudos Jurídicos (B1). Participou do processo de avaliação de periódicos como Parecerista ad-hoc na análise do mérito científico de periódico da área de Filosofia e Ética, para apreciação na XX Reunião do Comitê de Avaliação e Seleção de Periódicos LILACS Brasil, coordenada pelo Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde - BIREME/OPAS/OMS.Membro da APRODAB - Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil. Membro do LACLIMA - Latin American Climate Lawyers Initiative for mobililizing action. Membro da ABRASCO - Associação Brasileira de Saúde Coletiva. Membro do Conselho Editorial da Editora Studio Sala de Aula. Colunista da Revista Eletrônica Caos Filosófico e Colaboradora dos sites Justificando e Empório do Direito. Professora de Direito Ambiental, Direito Internacional, Direitos Humanos, Sociologia Geral e Jurídica. Disciplinas de Prática Jurídica e Advogada. Grupo de pesquisa: Sustentabilidade, Direitos Humanos e Transnacionalidade: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/4769394464815619 ORCID - https://orcid.org/0000-0002-7324-866X Tese: https://doi.org/10.29327/4367397

 

Vívian Marcello Ferreira Caetano - Doutora pelo Programa de Pós-graduação em História Social da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ/FFP), em 2021. Mestre no mesmo programa PPGHS, em 2016. Licenciada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) em 2014. Tem experiência na área de História do Brasil no século XX, com centralidade no campo da História da Imprensa e nos Estudos de Gênero. Suas pesquisas têm maior enfoque nas áreas voltadas à análise dos seguintes temas: relações de gênero, rio de janeiro, história das mulheres, condição feminina e feminismo. É integrante dos grupos de pesquisas: Pesquisa História, Poder e Ideias Políticas: Interfaces da História, Poder, Cultura e Ideias Políticas - UERJ. Tem experiência com organização de acervos arquivísticos e memória museal. Além disso, leciona há 11 anos para turmas do Ensino Fundamental II, Ensino Médio, em cursos preparatórios para Vestibulares (ENEM e UERJ) e concursos militares (Colégio Naval).

 

Maila de Oliveira Bianor - Professora e Coordenadora de TCC da UNESA/RJ. Advogada formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (FND/UFRJ). Doutoranda em Direito pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Teoria do Estado e Direito Constitucional pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC RIO) e Mestre em Políticas Públicas e Direitos Humanos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Especialista em Direitos Humanos, Gênero e Diversidade Sexual pela Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ). Atuou como editora assistente na Revista Direito, Estado e Sociedade, publicação Qualis A1 vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Direito da PUC RIO. Participa de grupos de pesquisa e possui certificado de reconhecimento pela excelência em pesquisa jurídica concedido pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Possui interesse nas áreas de: educação, políticas públicas, metodologia, direito constitucional, direito internacional e direitos humanos, gênero e diversidade.

Capítulos

  • AS MANIFESTAÇÕES FEMININAS EM FAVOR DO DIVÓRCIO NA IMPRENSA CARIOCA DA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX
  • CLÓVIS BEVILACQUA E O DIREITO DE FAMÍLIA NO CÓDIGO CIVIL DE 1916: AS DISCUSSÕES SOBRE CASAMENTO CIVIL E CONDIÇÃO DA MULHER NA PASSAGEM À MODERNIDADE NO BRASIL
  • HILDEGARD ROSENTHAL E ALICE BRILL: ESBOÇOS DE UMA LEITURA DE GÊNERO NA FOTOGRAFIA
  • MULHERES VÍTIMAS DE ESTUPRO NA CONTEMPORANEIDADE: AVANÇOS E RETROCESSOS DOS DIREITOS FEMININOS À LUZ DOS ASPECTOS JURÍDICO, HISTÓRICO MULTIDISCIPLINAR E TRANSDISCIPLINAR
  • O CASO DA MENINA DE SÃO MATEUS: ANÁLISES INTERSECCIONAIS DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER EM TEMPOS DE PANDEMIA
  • O DIREITO AO VOTO E A REPRESENTATIVIDADE FEMININA NO DIREITO POLÍTICO BRASILEIRO
  • SERVIÇO SOCIAL NO SOCIOJURÍDICO E ATENDIMENTO ÀS MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR

Downloads

Publicado

março 27, 2023

Licença

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.